6 erros no orçamento de obras: descubra quais são os mais comuns e como evitá-los

Tem problemas ou dificuldades na hora de criar e seguir o seu orçamento de obras? Descubra aqui quais são os erros mais comuns e como você pode evitá-los. 

Construir um edifício ou fazer uma reforma envolve planejamento, execução, muito acompanhamento e outros elementos que precisam de atenção. Entre as tarefas a serem realizadas está o orçamento de obras

Ele é fundamental para o sucesso, seja de uma pequena reforma ou de uma grande construção. Pensando nisso, separamos aqui 6 erros no orçamento de obras mais comuns para você nunca mais cometer. 

6 erros erros no orçamento de obras

Acompanhe o texto para descobrir como evitar erros no orçamento de obras

1. Dificuldade na hora de precificar e fazer a compra de materiais de construção

Para precificar os serviços, é preciso levar em consideração despesas, lucros e impostos envolvidos. Fazer uma estimativa sem conhecimento desses itens geralmente resulta em prejuízos. Por isso, é importante parametrizar e considerar os recursos das obras.

2.  Desconhecer os Custos Diretos envolvidos

Você sabe o que são os custos diretos? Eles são aqueles provenientes de insumos e mão de obra considerados no serviço oferecido. Para fazer a quantificação da maneira adequada é necessário conhecer as atividades e ter experiência no ramo da construção civil para conseguir identificar os insumos usados, seus rendimentos e os valores associados a cada um dos itens. 

3. Não conhecer os Custos Indiretos envolvidos

Não são apenas os custos diretos que têm impacto nas obras, os custos indiretos também vão afetar de maneira considerável o valor final do projeto. Mas, não são tão facilmente determinados e quantificados. Por esse motivo, eles precisam ser parametrizados e levados em conta nos recursos disponíveis. Podem ser identificados, por exemplo, como os gastos com luz e água. 

Essa medida vai ajudar a evitar prejuízos e precisa considerar os seguintes aspectos:

  • Carga tributária: é necessário considerar os tributos municipais e/ou estaduais para que não aconteçam erros no orçamento de obras;
  • Margem de incerteza: é muito usada pelas organizações para diminuir eventuais distorções no custo da obra e, geralmente, tem uma variação de 5 a 10%;
  • Seguros: inclui os seguros estabelecidos ou não no contrato, como garantia de execução contra terceiros, entre outros;
  • Garantias: são instrumentos utilizados para tornar possível o cumprimento de contrato, por exemplo, caução ou papéis selecionados;
  • Administração central: consiste na divisão dos custos da sede entre as obras da organização, com o gasto que varia entre 7 a 20%, dependendo do seu faturamento;
  • Custo Financeiro: juros decorrentes de uma eventual necessidade de empréstimo de capital de giro para realização de obras determinadas ou serviços. 

4. Usar referências de preço erradas ou desatualizadas

Fique de olho para atualizar com uma certa constância os índices adotados, leve em consideração o uso de valores reais de produtividade analisados em campo, faça o acompanhamento da realização de serviços. 

5. Não fazer o controle do seu orçamento de obras

Após fazer a elaboração do seu orçamento de obras, análise, ao longo da execução, se as suas estimativas foram realizadas de maneira correta e eficaz. Ou seja, veja com frequência as diferenças de valor entre o que foi planejado e o que aconteceu de fato. Mesmo que você não possa mudar, isso pode ajudar em obras no futuro e a fazer algumas adaptações antes que seja tarde demais. 

6. Não prever os atrasos em obras que podem acontecer

Chuvas… problemas no canteiro de obras… falta de materiais… 

Tudo isso pode provocar atrasos no projeto. Então, elabore o seu orçamento e o cronograma com algumas folguinhas entre as atividades, de maneira que o prazo final não seja comprometido, ou pelo menos, não muito. 

Outra dica valiosa para diminuir os impactos dos atrasos é adiantar tarefas quando possível. Também vale lembrar de pensar em serviços que podem ser realizados simultaneamente e não dependem de outros. 

Faça uma gestão de obras mais eficiente!

Agora que você já conhece os erros e sabe como evitá-los, coloque em prática nos seus próximos projetos e otimize a sua gestão de obras

Para mais dicas e conteúdos exclusivos sobre construção civil, acompanhe o blog do Obra Play e escute o podcast Obra Cast, clicando na imagem abaixo. 

Deixe um comentário

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários