Guia completo para uma cotação de materiais de construção

Guia completo para uma cotação de materiais de construção

Descubra como fazer a cotação de materiais de construção de forma eficiente e melhore a gestão de obras na sua empresa. 

Uma das etapas mais importantes em toda obra é a cotação de materiais de construção e, ao mesmo tempo, também é uma das mais negligenciadas. Geralmente, as pessoas começam os projetos escolhendo itens como decoração e revestimento, porém acabam deixando mais de lado alguns aspectos indispensáveis, como o planejamento e o orçamento de obras. Não cometa esse erro!  

A cotação consiste em fazer uma análise dos custos para a realização de cada uma das etapas do serviço, levando em consideração principalmente o custo dos materiais e, em alguns casos, a mão de obra. Essa fase é fundamental porque pode evitar prejuízos ao longo do projeto e também aproveitar oportunidades para economizar, garantindo o melhor custo-benefício. 

Confira agora o nosso guia completo de como fazer a cotação de materiais de construção na sua empresa: 

5 etapas da cotação de materiais de construção

Para fazer a sua cotação de maneira eficiente, existem alguns passos que você precisa seguir: 

1. Determine a quantidade de materiais 

A primeira etapa é definir a quantidade necessária de materiais para a sua obra. Dessa forma, você garante uma compra adequada e evita desperdícios. Realize um levantamento de materiais para todas as fases da construção. 

A relação de materiais pode ser feita por um arquiteto ou engenheiro a partir do projeto da obra. O que vai definir a quantidade são as medidas, áreas que serão pintadas, elementos estruturais, tipo de construção, entre outros. 

2. Compare os preços disponíveis no mercado

É indicado comparar detalhadamente com pelo menos três fornecedores diferentes. Assim, você consegue colocar os preços e as vantagens lado a lado e chegar a uma conclusão de qual é a melhor solução. 

Uma dica importante aqui é padronizar as consultas. Por exemplo, faça a cotação da mesma quantidade de materiais da mesma marca ou com a qualidade semelhante. Isso vai ajudar a ter uma visão mais precisa e objetiva em relação aos custos. 

Aqui, também valem alguns questionamentos, como: 

  • Qual é a situação mais proveitosa: comprar aos poucos ou em grande quantidade?
  • Vai compensar mais ter um grande espaço de armazenamento? 
  • É mais vantajoso alugar ou comprar os equipamentos necessários?
  • Caso todo o material seja comprado com um mesmo fornecedor, o preço vai diminuir? 
  • E se cada um dos materiais for adquirido com fornecedores diferentes, quanto fica?
  • O preço muda ao escolher diferentes formas de prazo e pagamento? Qual é a melhor? 

Essas são algumas das perguntas que você pode se fazer na hora de comparar os preços dos materiais no mercado. 

3. Escolha os fornecedores

Essa é uma etapa essencial porque a seleção precisa ser feita levando em conta vários aspectos, como: 

  • preço;
  • qualidade do serviço;
  • opções de pagamento;
  • prazo de entrega;
  • seriedade e comprometimento;
  • proximidade ao local da obra;
  • entre outros… 

Uma dica é que você pode escolher uma ordem de prioridade para cada um desses itens e definir os fornecedores que melhor atendem aos aspectos mais importantes do seu projeto. 

4. Avalie as formas de pagamento disponíveis

A forma de pagamento é fundamental, pois um dos fatores mais importantes em uma obra é o fluxo de caixa otimizado. Em alguns casos, uma saída muito grande de capital antes da entrada pode diminuir significativamente a lucratividade. Dessa maneira, não basta avaliar somente o preço, é essencial analisar a forma de pagamento, os juros, prazos e a existência de possíveis custos extras.

5. Monte um cronograma para a compra de materiais

Parte da gestão de obras é saber o momento certo para comprar cada um dos materiais. Isso é muito importante para evitar gastos desnecessários, perdas, prejuízos e desperdícios. 

Da mesma forma que o excesso de materiais pode prejudicar o planejamento, a falta também pode trazer consequências negativas, representando elevação nos custos, já que as compras feitas de última hora e em quantidades pequenas tendem a contar com uma margem de negociação menor.

Não só isso, mas o pagamento contínuo do frete e possíveis atrasos na entrega são mais comuns quando os materiais são comprados de maneira fragmentada. Assim, fica claro que ter um cronograma de compras bem estruturado evita o desperdício ou a falta de materiais recorrentes nas suas obras. 

Dica: use a tecnologia a seu favor

Na hora de fazer a gestão na construção civil, um grande aliado é o software de gerenciamento de obras. Essa ferramenta vai ajudar a sua construtora em cada uma dessas etapas, evitando prejuízos e reduzindo imprevistos. 

Esses softwares de gestão de obras aceleram processos, eliminam tempo gasto com tarefas que podem ser otimizadas e ainda proporcionam uma plataforma para você ter muito mais controle em uma das etapas dos seus projetos. 

Precisa de um lugar para encontrar os fornecedores? Venha conhecer o Obra Play, somos um ecossistema que vai juntar os maiores players do mercado! Nossa plataforma, além de interagir com clientes, encontrar profissionais capacitados e cadastrar vagas, também tem um espaço para você ficar por dentro dos temas mais relevantes com conteúdos exclusivos. 

Deixe um comentário

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários